terça-feira, 11 de setembro de 2018

DE REPENTE 30 >> Clara Braga

Sempre gostei de listas, fiz listas minha vida toda! É claro que com o tempo os tópicos vão mudando, a lista dos filmes que eu iria assistir no fim de semana foi substituída pelas tarefas que não foram cumpridas na semana e ficaram para o fim de semana, a lista de livros que quero ler passou a ser a lista de livros que eu preciso ler e a de coisas para comprar com a mesada passou a ser a do que deixar de comprar para economizar. 

Mas se engana quem pensa que todas as listas foram alteradas, ainda tenho, por exemplo, minha lista de shows que quero assistir e locais que quero conhecer, e até 24horas atrás eu tinha minha lista de coisas para fazer antes de completar 30 anos.

Não sei ao certo porque encuquei com os 30, mas tem anos que tenho a lista das coisas para fazer antes dos 30. Desconfio que seja por causa da quantidade de vezes que assisti De Repente 30 na sessão da tarde.

Especulações a parte, praticamente 24horas depois de completar os 30, fiz um balanço e percebi que essa lista foi seguida quase a risca, até os tópicos que eu tinha desistido de cumprir, como ter filho antes dos 30, acabei cumprindo. Agora vou começar a lista das coisas para fazer antes dos 40 e tem um tópico da lista anterior que já decidi manter: não deixar a mente envelhecer. 

Pensando nisso, fui me dar umas roupas de presente de aniversário e achei pertinente ir naquela loja que, em tradução livre, chama-se Para Sempre 21. Gostei de várias coisas, separei algumas, experimentei outras tantas e saí de lá apenas com o segundo tópico da minha nova lista: em consideração com a sua sanidade mental, nunca mais compre nessa loja. O nome dela deveria ser: acabamos com sua autoestima em 21 segundos. Peguei números maiores dos que estou acostumada a usar e as peças não passavam nem pela minha perna! Foi uma verdadeira tragédia, cada nova tentativa de vestir uma peça era um tapa na cara que eu levava me mandando acordar e lembrar que os 21 passaram tem 9 anos.

Mas tudo bem, outra meta dos 30 é não me abalar assim tão facilmente, por isso já ativei meu espírito empreendedor e estou pensando em abrir uma loja chamada De Repente 30 na qual só serão vendidas roupas e acessórios inspirados nos anos 80 e que levarão em conta que grande parte das mulheres brasileiras tem um quadril mais largo, será que cola?


Partilhar

2 comentários:

Edgar Campanate disse...

Oi! Clara,
Muito bonito seu texto, pois fiquei preso nele lembrando das várias fases da minha vida e realmente algumas deram tanto prazer em experimentá-las que se podesse eu arriscaria em vivencia-las novamente. Abraços.

Larissa S.A disse...

oi, adoro esse filme! Amei o seu texto. Sobre a proposta da loja é claro que cola!!!
Bju