Pular para o conteúdo principal

SEGUNDAS OTIMISTAS >> Clara Braga

Ser mais otimista é vontade de todos. Seja mais otimista é um dos conselhos mais dados a pessoas que estão passando por situações delicadas. Agora, ensinar alguém não só a ser, mas a manter-se otimista sempre, isso eu já considero raridade.

Não sei se por coincidência ou se foi intervenção divina para que eu pudesse manter minha sanidade mental, sempre tive perto de mim pessoas que são otimistas por natureza. A princípio isso parece ser uma coisa muito boa, e é mesmo em 70% dos casos, mas não podemos ignorar aqueles casos nos quais estamos extremamente tristes com algo, ou sofremos uma perda muito grande e precisamos ouvir alguém dizer o clichê do otimista: pense pelo lado positivo... Me desculpem, mas tem horas que dá vontade de matar a pessoa!

Acho que já deu para perceber que eu não me incluo no grupo dos otimistas, né? E é justamente por isso que eu costumo prestar muita atenção nas atitudes dessas pessoas, para ver se aprendo um pouco e faço dos meus momentos difíceis momentos mais leves.

Recentemente uma situação me chamou a atenção, e já que estamos em final de ano, defini essa situação como a mais otimista do ano, vou levar esse momento comigo como um mantra para o próximo ano e vou compartilhar com vocês a situação para que também se inspirem.

Estava entrando em sala de aula, primeiro horário de uma segunda-feira. Os alunos que já estavam em sala não estavam nada animados, o sono reinava e a preguiça parecia tomar conta de todos. Já estava quase me deixando levar pela energia baixa quando ouvi o diálogo de dois alunos:

- Nossa, ainda é segunda e eu já estou morto!

- Ainda? Amanhã já é terça-feira, ou seja, um dia antes do meio da semana! Quando a gente piscar já é sexta-feira!

Mal pude acreditar no que ouvi! Nunca tinha visto alguém encarar a segunda-feira de forma tão positiva! Confesso que nunca mais encarei a semana da mesma forma. Vai dizer, essa pessoa merece ou não merece o prêmio otimista do ano?

Comentários

Larissa S.A disse…
Clara, eu, particularmente, adoro as segundas, pois quase sempre elas iniciam um ciclo novo, primeiro dia de aula, primeiro dia em um emprego novo, o início para fazer algo que teremos a semana inteira pela frente, e depois do primeiro dia tudo fica mais fácil, é como sempre digo: basta sobreviver ao primeiro dia, rs.
Bju, adorei o texto.